domingo, 18 de novembro de 2012

SALMOS

LIVRO DE SALMOS

 

 

Salmos ou Tehilim( do hebraico תהילים, Louvores) é um livro do Tanakh (fazendo parte dos escritos ou Ketuvim) e da Bíblia Cristã.[1][2] Constitui-se de 150 (ou 151 segundo a Igreja Ortodoxa) cânticos e poemas que são o coração do Antigo Testamento, é a grande síntese que reúne todos os temas e estilos dessa parte da Bíblia[3], utilizados pelo antigo Israel como hinário no Templo de Jerusalém, e hoje são utilizados como orações ou louvores, no Judaísmo, no Cristianismo e também no Islamismo (o Corão refere os salmos como "um bálsamo"). Tal fato, comum aos três monoteísmos semitas, não tem paralelo, dado que judeus, cristãos e muçulmanos acreditam nos Salmos.

Origens

 

A autoria da maioria dos salmos é atribuída ao rei Davi, o qual teria escrito pelo menos 73 poemas. Asafe é considerado o autor de 12 salmos. Os filhos de Corá escreveram uns nove e o rei Salomão ao menos dois. Hemã, com os filhos de Corá, bem como Etã e Moisés, escreveram no mínimo um cada. Todavia, 51 salmos seriam tidos de autoria anônima.

O período em que os salmos foram compostos varia muito, representando um lapso temporal de aproximadamente um milênio, desde a data aproximada de 1440 a.C., quando houve o êxodo dos Israelitas do Egito até o cativeiro babilônico, sendo que muitas vezes esses poemas permitem traçar um paralelo com os acontecimentos históricos, principalmente com a vida de Davi, quando, por exemplo, havia fugido da perseguição promovida pelo rei Saul ou quanto ao arrependimento pelo seu pecado com Bate-Seba.

Poemas de louvor, os salmos foram inicialmente transmitidos através da tradição oral e a fixação por escrito teve lugar sobretudo através do movimento de recolha das tradições israelitas, iniciado no exílio babilônico pelo profeta Ezequiel (séculos VII-VI a.C.). Como tal, muitos destes textos serão muito anteriores, sendo bastante difícil a sua crítica do ponto de vista literário estrito. Ainda assim, tendo em conta a comparação com a literatura poética coeva do Egito, da Assíria e da Babilônia, pode-se afirmar que estes poemas de Israel são um dos expoentes da poesia universal.

Os salmos, em termos de conteúdo, possuem estrutura coerente, o que também pode ser observado em passagens do Antigo Testamento e em obras literárias do Oriente Médio da Antiguidade Tal como em outras tradições culturais, também a poesia hebraica andava estreitamente associada à música. Assim, embora não seja de se excluir para os salmos a possível recitação em forma de leitura, "todavia, dado o seu gênero literário, com razão são designados em hebraico pelo termo Tehillim, isto é, «cânticos de louvor», e, em grego psalmói, ou seja, «cânticos acompanhados ao som do saltério», ou ainda: oração cantada e acompanhada com instrumentos musicais

De fato, todos os salmos possuem um certo caráter musical, que determina o modo como devem ser executados. E assim, mesmo quando o salmo é recitado sem canto, ou até individualmente ou em silêncio, a sua recitação terá de conservar este caráter musical[ Os salmos acabaram por constituir um hinário litúrgico para uso no templo de Jerusalém, do qual transitaram quer para a sinagoga judaica, quer para as liturgias cristãs.

Na Igreja Católica, os 150 salmos formam o núcleo da oração cotidiana: a chamada Liturgia das Horas, também conhecida por Ofício Divino e cuja organização remonta a São Bento de Núrsia. A oração conhecida por rosário, com as suas 150 Ave Marias, formou-se por analogia com os 150 salmos do Ofício.

Os salmos são também poesia, que é a forma mais apropriada para expressar os sentimentos diante da realidade da vida permeada pelo mistério de Deus, o aliado que se compromete com o homem para com ele construir a história. É Deus participando da luta pela vida e liberdade. Dessa forma, os salmos convidam para que também nós nos voltemos com atenção para a vida e a história. Nelas descobrimos o Deus sempre presente e disposto a se aliar, para caminhar na luta pela construção do mundo novo Os salmos supõem o contexto maior de uma fé que nasce da história e constrói história. Seu ponto de partida é o Deus libertador que ouve o clamor do povo e se torna presente, dando eficácia à sua luta pela liberdade e vida (Ex 3,7-8). Por isso, os salmos são as orações que manifestam a fé que os pobres e oprimidos têm no Deus aliado. Como esse Deus não aprova a situação dos desfavorecidos, o povo tem a ousadia de reivindicar seus direitos, denunciar a injustiça, resistir aos poderosos e até mesmo questionar o próprio Deus. São orações que nos conscientizam e engajam na luta dentro dos conflitos, sem dar espaço para o pieguismo, o individualismo ou a alienação[

O livro dos Salmos é um dos mais citados pelos escritores do Novo Testamento. O próprio Jesus rezava os salmos, e sua vida e ação trouxeram significado pleno para o sentido que essas orações já possuíam. Depois dele, os salmos se tornaram a oração do novo povo de Deus, comprometido com Jesus Cristo para a transformação do mundo, em vista da construção do Reino[

Vários salmos são considerados pelos teólogos como proféticos ou messiânicos, pois referem-se à vinda do Cristo e, por isso, existem muitas citações de versos dos salmistas no Novo Testamento com o propósito de provar o cumprimento das profecias na pessoa de Jesus

O Salmo 150 constituiria uma doxologia, ou arremate de louvor do livro.

 Variações entre as traduções

O livro dos Salmos chegou até nós em suas versões grega (Septuaginta) e hebraica. A versão grega deste livro, como de toda a bíblia, foi utilizada pelos cristãos convertidos e por São Jerônimo na confecção de sua edição "Vulgata", tradução latina dos livros inspirados. Na Reforma Protestante é que se buscou os manuscritos originais hebraicos para fazer novas traduções e foi constatada a diferença que havia entre as duas traduções: as versões, apesar de terem o texto completo, diferem na numeração de capítulos e versículos.

Versículos

A versão grega costuma apresentar, na maioria dos salmos, um versículo de introdução, em que são atribuídas autorias e apontados instrumentos que deveriam ser utilizados ao se cantar os textos. Este versículo faz com que a versão hebraica tenha, nesses casos, um versículo a menos, uma vez que essas informações não são consideradas inspiradas por essa versão.

Capítulos

Em suma, pode-se dizer que entre os Salmos 10 e 148, a numeração da Bíblia Hebraica está uma unidade à frente da numeração seguida na Septuaginta e na Vulgata, que juntam: os Salmos 9 e 10 no Salmo 9 (da Septuaginta/Vulgata), e, os Salmos 114 e 115 no Salmo 113 (da Septuaginta/Vulgata); e dividem: o Salmo 116 nos Salmos 114 e 115 (da Septuaginta/Vulgata), e, o o Salmo 147 nos Salmos 146 e 147 (da Septuaginta/Vulgata)

 

 

Aplicação

No Judaísmo e no Protestantismo, a numeração usada sempre foi a hebraica.

A Igreja Católica, considerando oficial a tradução da "Vulgata", por muito tempo usou a numeração grega em suas bíblias. Porém, estudiosos consideram essa numeração errada, uma vez que certos salmos, que parecem ser um só, estão separados, enquanto outros, de assuntos bem diferentes, estão juntos. Vendo que a Vulgata era falha ao se basear somente num texto (Septuaginta), e no ínterim de novas descobertas das Escrituras (Manuscritos do Mar Morto), a Igreja permitiu a tradução das Escrituras diretamente dos originais (Constituição Dogmática Dei Verbum) e promoveu uma nova tradução e revisão da Bíblia (Neovulgata), que, desta vez, trouxe a numeração dos salmos a partir da versão hebraica, mas não resolveu a questão dos versículos introdutórios. A despeito desta nova tradução católica, é possível encontrar bíblias católicas que ainda se baseiam na Vulgata, por seu tradicionalismo, como é o caso da bíblia da Editora Ave Maria.

 Salmos Proféticos

Alguns salmos são considerados proféticos ou messiânicos pela Teologia cristã, pois apontam para a vinda do Messias, sendo com freqüência citados no Novo Testamento da Bíblia com o objetivo de identificar Jesus Cristo como o cumpridor da promessa.

No Salmo 2, que fala do reinado do Ungido de Deus, verificam-se algumas citações no livro de Atos e na Epístola aos Hebreus.

Já o Salmo 8 que fala da glória divina e da dignidade do Filho do Homem é citado no Evangelho de Mateus, bem como em algumas epístolas de Paulo.

Por sua vez, o Salmo 16 é uma referência à ressurreição de Cristo em seu verso 10, quando Davi assim profetiza:

"Pois não deixarás a minha alma na morte, nem permitirás que o teu Santo veja corrupção."

Por sua vez, o Salmo 22 fala do sofrimento e da vitória do Messias que se entende cumprido na crucificação de Jesus, principalmente devido aos versos 7 e 18 que, respectivamente, coincidem com a zombaria experimentada durante o martírio e a repartição das vestes pelos soldados.

Todos esses salmos foram proferidos pelo rei Davi, que teria governado Israel um milênio antes do ministério de Jesus.

Importante destacar que tais salmos referem-se à numeração da Bíblia protestante, o que deve ser observado pelo leitor ao consultar a Bíblia católica, cujo conteúdo é o mesmo.

 Os Salmos e a história de Davi

Vários salmos relacionam-se com os acontecimentos que marcaram a vida do rei Davi.

O Salmo 59 tem a ver com a ocasião em que Saul teria enviado homens à casa de Davi para prendê-lo. Já os Salmos 34 e 56 referem-se à sua fuga de Saul. Por sua vez, o Salmo 142 foi composto quando DDavi encontrava-se escondido na caverna de Adulão, na região do mar Morto.

Ao terminar a perseguição de Saul, Davi compõe o Salmo 18, ressaltando a fidelidade de Deus.

Quando é confrontado pelo profeta Natã sobre o seu adultério com Bate-Seba e a morte de Urias, Davi compõe o Salmo 51, demonstrando o seu verdadeiro arrependimento.

Novamente ao ser perseguido, agora por seu filho Absalão, Davi ainda escreve os Salmos 3 e 7, o que revela sua confiança no livramento de Deus.

Além destes citados acima, outros Salmos que se relacionam com passagens da vida de Davi seriam o 52 (depois que Doengue assassinou os 85 sacerdotes e suas famílias), o 54 (quando os zifeus tentaram traí-lo), o 57 (enquanto se escondia em uma caverna) e o 63 (enquanto escondia-se no deserto de En-Gedi).

Importante alertar novamente que tais Salmos referem-se à numeração da Bíblia protestante, o que deve ser observado pelo leitor ao consultar a Bíblia católica, cujo conteúdo permanece o mesmo.

 O tratamento musical dos Salmos na liturgia cristã

A história do canto do salmo na liturgia cristã corre paralela à história da liturgia, da música e das Igrejas cristãs. Após o desenvolvimento do salmo responsorial no século IV, a função do salmista acaba por se transformar num ministério próprio, mais tarde incluído até no clero local. No entanto, este ministério acaba por cair em desuso com a especialização crescente dos cantores e com a instituição das scholae, ao mesmo tempo que a participação do povo se reduz.

Na missa, o salmo vê-se limitado a um único versículo, nas versões extraordinariamente elaboradas do gradual gregoriano, assim chamado por ser cantado dos degraus do altar. No Ofício Divino, o canto dos salmos recebe também o desvelo de gerações de compositores, que expressamente compõem algumas das obras-primas da música ocidental, em particular para o solene canto de Vésperas, como, por exemplo, Vespro della Beata Vergine Maria, de 1610, de Claudio Monteverdi, ou as Vesperae Solennes de Confessore, KV 339, de Wolfgang Amadeus Mozart), mas onde muitas vezes, na prática, a oração cede lugar ao concerto.

Na Igreja Católica, o motu proprio Tra le Solecitudine de 1903, do Papa Pio X, exclui da liturgia os salmos "de concerto". Após o Concílio Vaticano II, é restaurado o salmo responsorial na missa, através da Instrução Geral do Missal Romano de 1969.

wikipédia   

Salmos

Como podemos aplicar os salmos em nossa vida diária.

Os salmos foram escritos pelo Rei Davi, Asafe, Masquil e outros, para manifestar suas angústias, necessidades e aflições cotidianas.
São um retrato da situação em que as pessoas se encontravam naquela época e como recorriam a Deus através dos salmos para aliviarem seus temores.
Abaixo você encontrará a aplicação dos salmos para ajudar a aliviar suas angústias, necessidades e aflições cotidianas, assim como nossos antepassados já o faziam.

Ore com todo seu coração, vá para um lugar tranqüilo e silencioso, esteja com seu corpo e principalmente suas mãos limpas, entre em sintonia com o Criador e tenho certeza que Ele vai responder prontamente as suas necessidades

 

 

OS SALMOS FORAM FEITOS PARA SEREM CANTADOS

 

: os Salmos. Não é um texto, mas um conjunto de

150 textos. E, acima de tudo, não são como todos os outros escritos para serem lidos ou proclamados, mas

sim cantados! Os salmos são cânticos. O livro dos Salmos era para os judeus o que hoje são para nós os

livros de cânticos que se editam em alguns sítios para animar as celebrações e cantar a fé. Aliás, Salmo,

em hebraico, diz-se Mismôr, que é um tipo de canções, aquilo a que nós chamamos de cânticos. Muitos

salmos têm, logo ao início, os instrumentos com que devem ser acompanhados e a forma de serem

cantados, assim como muitos também fazem referência “ao director do coro” (por exemplo: Sl 13; 2; 8). O

salmo 150 dá-nos a lista da maior parte dos instrumentos que eram usados para acompanhar o canto dos

salmos. Muitas vezes, no templo de Jerusalém, o salmo era iniciado pelo “director do coro” e depois

sustentado por este, composto de salmistas que faziam parte dos que estavam durante longos períodos ao

serviço do templo, enquanto o povo ia repetindo refrães como “porque o Seu Amor é eterno!” (Sl 136), ou

então, mais simples, os salmos eram acompanhados pelo povo com “Amen! Aleluia!” (Sl 106, 48). Por vezes

também, para facilitar a participação de toda a gente, escrevia-se um poema que encaixasse numa melodia

já conhecida por toda a gente, como se vê, por exemplo, nos salmos 56, 57, 22: “Pela melodia A corça da

aurora”. Mostra que existia no reportório popular do povo de Israel uma música que se chamava “A corça da

aurora” que toda a gente sabia, à qual se aplicavam letras para cantar no templo ou nas peregrinações. Era

como se hoje, para que toda a gente pudesse cantar, alguém escrevesse um poema sobre a fé que

encaixasse como letra da melodia “As pombinhas da Cat’rina”.

Vemos assim que os salmos não são textos mortos, cansativos, maçudos, como tantas vezes

fazemos deles… Na tradição da Igreja têm sido muito usados, mas quase sempre se esquece que são

cantigas, e não textos para serem recitados! Muitos deles eram sempre acompanhados de danças, palmas,

gritos de festa! E nós hoje queremos recitá-los sentados em cadeiras de pernas cruzadas e rosto sem

vida…

Nasceram na vida, da vida e para a vida! Não são reflexões teóricas nem orações para aprender de

cor. Querer fazê-lo assim é tão estranho como agora pegarmos num livro de cânticos e usá-lo como

devocionário, lendo e relendo cada texto como se fosse uma recitação a fazer. Há textos que nascem para

serem cantados, e os salmos são desses por excelência.

(Jovens Redentoristas-portugal)

 

 

 

Salmos

Salmo 1 - Amizade, auto-confiança, decisão, emprego, lealdade e bondade.

Salmo 2 - Família, intriga, problemas financeiros, intuição e cura

Salmo 3 - Dívidas, empreendimentos, inimigos e fé

Salmo 4 - Estudos, solidão, insônia, processos judiciais e calúnia

Salmo 5 - Inimigos, intelectualidade, meditação e contra a maldade.

Salmo 6 - Socorro rápido, emprego, indecisão, otimismo, sucesso e tristeza.

Salmo 7 - Pedir misericórdia ao pai Celestial, socorro rápido, situações de perigo e dores em geral.

Salmo 8 - Insônia, transações comerciais, proteção para crianças e animais.

Salmo 9 - Definição, estudos e força

Salmo 10 -Carma, êxito, ganhos materiais,missão,mudança e viagens.

Salmo 11 - Fé, inteligência, proteção no lar, orientação e pureza.

Salmo 12 - Amizade, calma, firmeza de propósito,contra vícios, nervos.

Salmo 13 - Amor próprio, compreensão com o companheiro cármico, conflitos em família, mudança,  dúvida e  depressão.

Salmo 14 - Auto controle, confiança, harmonia conjugal, obter caridade.

Salmo 15 - Achar animais e objetos perdidos, para obter fama e sucesso.

Salmo 16 - Deixar para trás o passado, vícios, alegria e insônia.

Salmo 17 - Vitórias judiciais, força, otimismo e viagem segura.

Salmo 18 - Voltar a realidade, instabilidade, mudança de casa, proteção e cura.

Salmo 19 - Sorte, sucesso ao falar em público, amizade e saúde.

Salmo 20 - Solidão, progresso e consolação.

Salmo 21 - Para obter favores e  felicidade no casamento.

Salmo 22 - Para casos desesperados, abrir caminhos e alegria.

Salmo 23 - Para casos desesperados, uma boa sociedade, paz de espírito, conhecimento do significado dos sonhos.

Salmo 24 - Força, graças, confiança e recuperar bens considerados perdidos.

Salmo 25 - Conhecer-se e encontrar pessoas desaparecidas.

Salmo 26 - Justiça em processos, medo e traições.

Salmo 27 - Para vencer medos, ocasiões de perigo e obter o amor familiar.

Salmo 28 - Bênçãos em geral.

Salmo 29 - Paz e segurança.

Salmo 30 - Proteção contra a calúnia, inveja e espíritos inferiores, vocação e limpeza espiritual.

Salmo 31 - Esclarecimento de dúvidas e perseverança.

Salmo 32 - Perdão dos pecados, justiça e proteção.

Salmo 33 - Agradecimento, bênçãos e misericórdia divina.

Salmo 34 - Vitórias e juventude no espírito, dores em geral.

Salmo 35 - Justiça e proteção contra inimigos

Salmo 36 - Para deixar de ser arrogante, para obter sucesso e rapidez em uma mudança de casa e ter mais paciência.

Salmo 37 - Falta de memória, alcoolismo e concentração.

Salmo 38 - Para solucionar uma situação que necessita uma solução imediata e cura de doenças perniciosas.

Salmo  39 - Resignação, paciência e desenvolver dons.

Salmo 40 - Nos perigos da vida, proteção e ansiedade.

Salmo 41 - Pela cura de uma doença grave.

Salmo 42 - Para os que se encontram longe de casa,

Salmo 43 - Firmeza de propósito.

Salmo 44 - Pela pátria, obter o perdão daqueles a quem magoamos.

Salmo 45 - Bênção conjugal, abundância no lar.

Salmo 46 - Atrair forças superiores.

Salmo 47 - Sucesso e louvor

Salmo 48 - Proteção material, prudência e elevação.

Salmo 49 - Contra o temor da morte, humildade e sabedoria

Salmo 50 - Para a revelação de dons.

Salmo 51- Casos desesperados, perdão e feitiços.

Salmo 52 - Contra as injustiças e falsidades

Salmo 53 - Para os bons costumes, contra agressões físicas e morais.

Salmo 54 - Opressão e injustiças.

Salmo 55 - Justiça contra os inimigos.

Salmo 56 - Resignação diante do carma.

Salmo 57 - Contra feitiços, corrupção e decadência moral.

Salmo 58 - Casos desesperados de injustiças e vícios.

Salmo 59 - Recompensas por merecimento.

Salmo 60 - Obter heranças e dinheiro.

Salmo 61 - Para erguer o moral, obter reconhecimento e amizade.

Salmo 62 - Para obter confiança em si mesmo.

Salmo 63 - Contra maldades, invejas e caluniadores.

Salmo 64 - Opressão e calúnia.

Salmo 65 - Abundância e justiça.

Salmo 66 - Agradecimento por graças recebidas.

Salmo 67 - Novos caminhos, prosperidade e para decisões importantes.

Salmo 68  - Contra obsessão, miasmas negativos e espíritos inferiores.

Salmo 69 - Contra feitiços.

Salmo 70 - Para obter paciência em situações difíceis.

Salmo 71 - Para os idosos doentes.

Salmo 72 - Contra males físicos cármicos ou espirituais.

Salmo 73 - Para firmeza de caráter.

Salmo 74 - Vitórias em processos e para vencer obstáculos.

Salmo 75 - Para enfrentar uma crise existencial e renovação.

Salmo 76 - Insônia, facilitar a meditação e acalmar o espírito.

Salmo 77 - Esclarecimento de dúvidas e transformação.

Salmo 78 - Para ter paciência com os idosos e preparar-se para a velhice.

Salmo 79 - Para manter a paz entre as nações.

Salmo 80 - Antes de prestar concursos e obter sucesso profissional.

Salmo 81 - Contra a tristeza e para aproximar-se da Divindade.

Salmo 82 - Para que se faça justiça.

Salmo 83 - Para obter vitórias.

Salmo 84 - Para fortalecer sua fé.

Salmo 85 - Para tirar as forças dos inimigos.

Salmo 86 - Para conservar a integridade moral e conhecer a verdade.

Salmo 87 - Prosperidade e conhecer a verdade.

Salmo 88 - Para a cura de uma doença terminal.

Salmo 89 - Sucesso nos negócios.

Salmo 90 - Contra assaltos.

Salmo 91 - É o salmo que se destina para todos os fins, e é sempre bom manter sua Bíblia aberta nele.

Salmo 92 - Proteção dos esportistas, agilidade e força física.

Salmo 93 - Desânimo.

Salmo 94 - Ação de graças.

Salmo 95 - Energização e limpeza espiritual de ambientes.

Salmo 96 - Proteção espiritual, iluminação.

Salmo 97 - Reconciliação conjugal.

Salmo 98 - Obter graças e proteção dos anjos.

Salmo 99 - Para se obter boas notícias.

Salmo 100 - Proteção contra pessoas maldosas.

Salmo 101 - Fertilidade e encontrar a alma gêmea.

Salmo 102 - Para permanecer no emprego.

Salmo 103 - Fertilidade e abundância.

Salmo 104 - Prosperidade, proteção e riquesas.

Salmo 105 - Para ajudar no aprendizado escolar.

Salmo 106 - Proteção para pesquisadores.

Salmo 107 - Segurança.

Salmo 108 - Para nos proteger de energias negativas.

Salmo 109 - Amor universal, irmandade.

Salmo 110 - Para uma gravidez tranquila.

Salmo 111 - Para obtermos felicidade e evitarmos a inveja.

Salmo 112 - Proteção de Deus contra a esterilidade.

Salmo 113 - Prosperidade.

Salmo 114 - Harmonia no lar.

Salmo 115 - Vitória da fé e do amor contra a mentira.

Salmo 116 - Para encontrarmos nossa alma gêmea.

Salmo 117 - Para obtermos forças nas provações que devemos enfrentar.

Salmo 118 - Para conseguirmos encontrar um ótimo emprego.

Salmo 119 - Proteção contra inimigos religiosos.

Salmo  120 - Para viajarmos e dirigirmos com segurança.

Salmo 121 - Prosperidade, justiça e paz.

Salmo 122 - Para obtermos alívio em problemas com a visão.

Salmo 123 - Para obtermos alívio em problemas no sangue.

Salmo 124 - Para obtermos a proteção Divina.

Salmo 125 - Para as aflições da vida.

Salmo 126 - Prosperidade e proteção para a família.

Salmo 127 - Para alcançarmos o equilíbrio e tomarmos decisões.

Salmo 128 - Para alcançarmos um determinado objetivo.

Salmo 129 - Para os espíritos sofredores.

Salmo 130 - Para expulsarmos energias negativas.

Salmo 131 - Para problemas com insônia.

Salmo 132 - Amor , união, fraternidade, harmonia e concórdia.

Salmo 133 - Para nos mostrar bons exemplos.

Salmo 134 - Vitórias do espírito e força para viver.

Salmo 135 - Proteção de Deus.

Salmo 136 - Favorece tudo o que é ligado ao trabalho.

Salmo 137 - Proteção angelical e realização afetiva.

Salmo 138 - Para obtermos sabedoria.

Salmo 139 - Para que nossos inimigos não tenham forças contra nós.

Salmo 140 - Para sabermos colocar nossas palavras e termos paciência.

Salmo 141 - Proteção contra os inimigos.

Salmo 142 - Para conhecermos nossas verdadeiras vocações.

Salmo 143 - Para termos abundância material.

Salmo 144 - Para tomarmos a decisão certa.

Salmo 145 - Para obtermos plena saúde.

Salmo 146 - Para encontrarmos objetos perdidos.

Salmo 147 - Contra ladrões, frio intenso e raios.

Salmo 148 - Para proteção dos ecologistas.

Salmo 149 - Vitória.

Salmo 150 - Louvar a Deus Pai todo Poderoso e dar graças.

 

           Salmos

 SALMOS 11

1 NO SENHOR confio; como dizeis à minha alma: Fugi para a vossa montanha como pássaro?

2 Pois eis que os ímpios armam o arco, põem as flechas na corda, para com elas atirarem, às escuras, aos retos de coração.

3 Se forem destruídos os fundamentos, que poderá fazer o justo?

4 O SENHOR está no seu santo templo, o trono do SENHOR está nos céus; os seus olhos estão atentos, e as suas pálpebras provam os filhos dos homens.

5 O SENHOR prova o justo; porém ao ímpio e ao que ama a violência odeia a sua alma.

6 Sobre os ímpios fará chover laços, fogo, enxofre e vento tempestuoso; isto será a porção do seu copo.

7 Porque o SENHOR é justo, e ama a justiça; o seu rosto olha para os retos

 

 SALMOS 72

  1 Ó DEUS, dá ao rei os teus juízos, e a tua justiça ao filho do rei.

2 Ele julgará ao teu povo com justiça, e aos teus pobres com juízo.

3 Os montes trarão paz ao povo, e os outeiros, justiça.

4 Julgará os aflitos do povo, salvará os filhos do necessitado, e quebrantará o opressor.

5 Temer-te-ão enquanto durarem o sol e a lua, de geração em geração.

6 Ele descerá como chuva sobre a erva ceifada, como os chuveiros que umedecem a terra.

7 Nos seus dias florescerá o justo, e abundância de paz haverá enquanto durar a lua.

8 Dominará de mar a mar, e desde o rio até às extremidades da terra.

9 Aqueles que habitam no deserto se inclinarão ante ele, e os seus inimigos lamberão o pó.

10 Os reis de Társis e das ilhas trarão presentes; os reis de Sabá e de Seba oferecerão dons.

11 E todos os reis se prostrarão perante ele; todas as nações o servirão.

12 Porque ele livrará ao necessitado quando clamar, como também ao aflito e ao que não tem quem o ajude.

13 Compadecer-se-á do pobre e do aflito, e salvará as almas dos necessitados.

14 Libertará as suas almas do engano e da violência, e precioso será o seu sangue aos olhos dele.

15 E viverá, e se lhe dará do ouro de Sabá; e continuamente se fará por ele oração; e todos os dias o bendirão.

16 Haverá um punhado de trigo na terra sobre as cabeças dos montes; o seu fruto se moverá como o Líbano, e os da cidade florescerão como a erva da terra.

17 O seu nome permanecerá eternamente; o seu nome se irá propagando de pais a filhos enquanto o sol durar, e os homens serão abençoados nele; todas as nações lhe chamarão bem-aventurado.

18 Bendito seja o SENHOR Deus, o Deus de Israel, que só ele faz maravilhas.

19 E bendito seja para sempre o seu nome glorioso; e encha-se toda a terra da sua glória. Amém e Amém.

20 Aqui acabam as orações de Davi, filho de Jessé.

 

 SALMOS 23

 1 O SENHOR é o meu pastor, nada me faltará.

2 Deitar-me faz em verdes pastos, guia-me mansamente a águas tranqüilas.

3 Refrigera a minha alma; guia-me pelas veredas da justiça, por amor do seu nome.

4 Ainda que eu andasse pelo vale da sombra da morte, não temeria mal algum, porque tu estás comigo; a tua vara e o teu cajado me consolam.

5 Preparas uma mesa perante mim na presença dos meus inimigos, unges a minha cabeça com óleo, o meu cálice transborda.

 Certamente que a bondade e a misericórdia me seguirão todos os dias da minha vida; e 6habitarei na casa do SENHOR por longos dia

 

 SALMOS 91

1 AQUELE que habita no esconderijo do Altíssimo, à sombra do Onipotente descansará.

2 Direi do SENHOR: Ele é o meu Deus, o meu refúgio, a minha fortaleza, e nele confiarei.

3 Porque ele te livrará do laço do passarinheiro, e da peste perniciosa.

4 Ele te cobrirá com as suas penas, e debaixo das suas asas te confiarás; a sua verdade será o teu escudo e broquel.

5 Não terás medo do terror de noite nem da seta que voa de dia,

6 Nem da peste que anda na escuridão, nem da mortandade que assola ao meio-dia.

7 Mil cairão ao teu lado, e dez mil à tua direita, mas não chegará a ti.

8 Somente com os teus olhos contemplarás, e verás a recompensa dos ímpios.

9 Porque tu, ó SENHOR, és o meu refúgio. No Altíssimo fizeste a tua habitação.

10 Nenhum mal te sucederá, nem praga alguma chegará à tua tenda.

11 Porque aos seus anjos dará ordem a teu respeito, para te guardarem em todos os teus caminhos.

12 Eles te sustentarão nas suas mãos, para que não tropeces com o teu pé em pedra.

13 Pisarás o leão e a cobra; calcarás aos pés o filho do leão e a serpente.

14 Porquanto tão encarecidamente me amou, também eu o livrarei; pô-lo-ei em retiro alto, porque conheceu o meu nome.

15 Ele me invocará, e eu lhe responderei; estarei com ele na angústia; dela o retirarei, e o glorificarei.

16 Fartá-lo-ei com longura de dias, e lhe mostrarei a minha salvação.

 

 SALMOS 52

 1 POR que te glorias na malícia, ó homem poderoso? Pois a bondade de Deus permanece continuamente.

2 A tua língua intenta o mal, como uma navalha amolada, traçando enganos.

3 Tu amas mais o mal do que o bem, e a mentira mais do que o falar a retidão. (Selá.)

4 Amas todas as palavras devoradoras, ó língua fraudulenta.

5 Também Deus te destruirá para sempre; arrebatar-te-á e arrancar-te-á da tua habitação, e desarraigar-te-á da terra dos viventes. (Selá.)

6 E os justos o verão, e temerão: e se rirão dele, dizendo:

7 Eis aqui o homem que não pôs em Deus a sua fortaleza, antes confiou na abundância das suas riquezas, e se fortaleceu na sua maldade.

8 Mas eu sou como a oliveira verde na casa de Deus; confio na misericórdia de Deus para sempre, eternamente.

9 Para sempre te louvarei, porque tu o fizeste, e esperarei no teu nome, porque é bom diante de teus santos.

 

 SALMOS 2

 1 POR que se amotinam os gentios, e os povos imaginam coisas vãs?

2 Os reis da terra se levantam e os governos consultam juntamente contra o SENHOR e contra o seu ungido, dizendo:

3 Rompamos as suas ataduras, e sacudamos de nós as suas cordas.

4 Aquele que habita nos céus se rirá; o Senhor zombará deles.

5 Então lhes falará na sua ira, e no seu furor os turbará.

6 Eu, porém, ungi o meu Rei sobre o meu santo monte de Sião.

7 Proclamarei o decreto: o SENHOR me disse: Tu és meu Filho, eu hoje te gerei.

8 Pede-me, e eu te darei os gentios por herança, e os fins da terra por tua possessão.

9 Tu os esmigalharás com uma vara de ferro; tu os despedaçarás como a um vaso de oleiro.

10 Agora, pois, ó reis, sede prudentes; deixai-vos instruir, juízes da terra.

11 Servi ao SENHOR com temor, e alegrai-vos com tremor.

12 Beijai o Filho, para que se não ire, e pereçais no caminho, quando em breve se acender a sua ira; bem-aventurados todos aqueles que nele confiam.

 

SALMOS 3

 1 SENHOR, como se têm multiplicado os meus adversários! São muitos os que se levantam contra mim.

 2 Muitos dizem da minha alma: Não há salvação para ele em Deus. (Selá.)

 3 Porém tu, SENHOR, és um escudo para mim, a minha glória, e o que exalta a minha cabeça. 

 4 Com a minha voz clamei ao SENHOR, e ouviu-me desde o seu santo monte. (Selá.)

 5 Eu me deitei e dormi; acordei, porque o SENHOR me sustentou.

 6 Não temerei dez milhares de pessoas que se puseram contra mim e me cercam.

7Levanta-te, SENHOR; salva-me, Deus meu; pois feriste a todos os meus inimigos nos queixos; quebraste os dentes aos ímpios.

8A salvação vem do SENHOR; sobre o teu povo seja a tua bênção. (Selá.)

 

 SALMOS 4

1 OUVE-ME quando eu clamo, ó Deus da minha justiça, na angústia me deste largueza; tem misericórdia de mim e ouve a minha oração.

 2 Filhos dos homens, até quando convertereis a minha glória em infâmia? Até quando amareis a vaidade e buscareis a mentira? (Selá.)

 3 Sabei, pois, que o SENHOR separou para si aquele que é piedoso; o SENHOR ouvirá quando eu clamar a ele.

 4 Perturbai-vos e não pequeis; falai com o vosso coração sobre a vossa cama, e calai-vos. (Selá.)

 5 Oferecei sacrifícios de justiça, e confiai no SENHOR.

 6 Muitos dizem: Quem nos mostrará o bem? SENHOR, exalta sobre nós a luz do teu rosto.

7 Puseste alegria no meu coração, mais do que no tempo em que se lhes multiplicaram o trigo e o vinho.

8 Em paz também me deitarei e dormirei, porque só tu, SENHOR, me fazes habitar em segurança.

 

 SALMOS 9

 

1 EU te louvarei, SENHOR, com todo o meu coração; contarei todas as tuas maravilhas.

 2 Em ti me alegrarei e saltarei de prazer; cantarei louvores ao teu nome, ó Altíssimo.

 3 Porquanto os meus inimigos retornaram, caíram e pereceram diante da tua face.

4  Pois tu tens sustentado o meu direito e a minha causa; tu te assentaste no tribunal, julgando justamente;

 5 Repreendeste as nações, destruíste os ímpios; apagaste o seu nome para sempre e eternamente.

 6 Oh! inimigo! acabaram-se para sempre as assolações; e tu arrasaste as cidades, e a sua memória pereceu com elas.

 7 Mas o SENHOR está assentado perpetuamente; já preparou o seu tribunal para julgar.

 8 Ele mesmo julgará o mundo com justiça; exercerá juízo sobre povos com retidão.

 9 O SENHOR será também um alto refúgio para o oprimido; um alto refúgio em tempos de angústia.

 10  Em ti confiarão os que conhecem o teu nome; porque tu, SENHOR, nunca desamparaste os que te buscam.

 11 Cantai louvores ao SENHOR, que habita em Sião; anunciai entre os povos os seus feitos.

 12 Pois quando inquire do derramamento de sangue, lembra-se deles: não se esquece do clamor dos aflitos.

 13 Tem misericórdia de mim, SENHOR, olha para a minha aflição, causada por aqueles que me odeiam; tu que me levantas das portas da morte;

 14 Para que eu conte todos os teus louvores nas portas da filha de Sião, e me alegre na tua salvação.

 15 Os gentios enterraram-se na cova que fizeram; na rede que ocultaram ficou preso o seu pé.

 16 O SENHOR é conhecido pelo juízo que fez; enlaçado foi o ímpio nas obras de suas mãos. (Higaiom; Selá.)

 17 Os ímpios serão lançados no inferno, e todas as nações que se esquecem de Deus.

 18 Porque o necessitado não será esquecido para sempre, nem a expectação dos pobres perecerá perpetuamente.

 19 Levanta-te, SENHOR; não prevaleça o homem; sejam julgados os gentios diante da tua face.

 20 Põe-os em medo, SENHOR, para que saibam as nações que são formadas por meros homens. (Selá.)

 

 SALMOS 89

 1 AS benignidades do SENHOR cantarei perpetuamente; com a minha boca manifestarei a tua fidelidade de geração em geração.

2 Pois disse eu: A tua benignidade será edificada para sempre; tu confirmarás a tua fidelidade até nos céus, dizendo:

3 Fiz uma aliança com o meu escolhido, e jurei ao meu servo Davi, dizendo:

4 A tua semente estabelecerei para sempre, e edificarei o teu trono de geração em geração. (Selá.)

5 E os céus louvarão as tuas maravilhas, ó SENHOR, a tua fidelidade também na congregação dos santos.

6 Pois quem no céu se pode igualar ao SENHOR? Quem entre os filhos dos poderosos pode ser semelhante ao SENHOR?

7 Deus é muito formidável na assembléia dos santos, e para ser reverenciado por todos os que o cercam.

8 Ó SENHOR Deus dos Exércitos, quem é poderoso como tu, SENHOR, com a tua fidelidade ao redor de ti?

9 Tu dominas o ímpeto do mar; quando as suas ondas se levantam, tu as fazes aquietar.

10 Tu quebraste a Raabe como se fora ferida de morte; espalhaste os teus inimigos com o teu braço forte.

11 Teus são os céus, e tua é a terra; o mundo e a sua plenitude tu os fundaste.

12 O norte e o sul tu os criaste; Tabor e Hermom jubilam em teu nome.

13 Tu tens um braço poderoso; forte é a tua mão, e alta está a tua destra.

14 Justiça e juízo são a base do teu trono; misericórdia e verdade irão adiante do teu rosto.

15 Bem-aventurado o povo que conhece o som alegre; andará, ó SENHOR, na luz da tua face.

16 Em teu nome se alegrará todo o dia, e na tua justiça se exaltará.

17 Pois tu és a glória da sua força; e no teu favor será exaltado o nosso poder.

18 Porque o SENHOR é a nossa defesa, e o Santo de Israel o nosso Rei.

19 Então falaste em visão ao teu santo, e disseste: Pus o socorro sobre um que é poderoso; exaltei a um eleito do povo.

20 Achei a Davi, meu servo; com santo óleo o ungi,

21 Com o qual a minha mão ficará firme, e o meu braço o fortalecerá.

22 O inimigo não o importunará, nem o filho da perversidade o afligirá.

23 E eu derrubarei os seus inimigos perante a sua face, e ferirei aos que o odeiam.

24 E a minha fidelidade e a minha benignidade estarão com ele; e em meu nome será exaltado o seu poder.

25 Porei também a sua mão no mar, e a sua direita nos rios.

26 Ele me chamará, dizendo: Tu és meu pai, meu Deus, e a rocha da minha salvação.

27 Também o farei meu primogênito mais elevado do que os reis da terra.

28 A minha benignidade lhe conservarei eu para sempre, e a minha aliança lhe será firme,

29 E conservarei para sempre a sua semente, e o seu trono como os dias do céu.

30 Se os seus filhos deixarem a minha lei, e não andarem nos meus juízos,

31 Se profanarem os meus preceitos, e não guardarem os meus mandamentos,

32 Então visitarei a sua transgressão com a vara, e a sua iniqüidade com açoites.

33 Mas não retirarei totalmente dele a minha benignidade, nem faltarei à minha fidelidade.

34 Não quebrarei a minha aliança, não alterarei o que saiu dos meus lábios.

35 Uma vez jurei pela minha santidade que não mentirei a Davi.

36 A sua semente durará para sempre, e o seu trono, como o sol diante de mim.

37 Será estabelecido para sempre como a lua e como uma testemunha fiel no céu. (Selá.)

38 Mas tu rejeitaste e aborreceste; tu te indignaste contra o teu ungido.

39 Abominaste a aliança do teu servo; profanaste a sua coroa, lançando-a por terra.

40 Derrubaste todos os seus muros; arruinaste as suas fortificações.

41 Todos os que passam pelo caminho o despojam; é um opróbrio para os seus vizinhos.

42 Exaltaste a destra dos seus adversários; fizeste com que todos os seus inimigos se regozijassem.

43 Também embotaste o fio da sua espada, e não o sustentaste na peleja.

44 Fizeste cessar a sua glória, e deitaste por terra o seu trono.

45 Abreviaste os dias da sua mocidade; cobriste-o de vergonha. (Selá.)

46 Até quando, SENHOR? Acaso te esconderás para sempre? Arderá a tua ira como fogo?

47 Lembra-te de quão breves são os meus dias; por que criarias debalde todos os filhos dos homens?

48 Que homem há, que viva, e não veja a morte? Livrará ele a sua alma do poder da sepultura? (Selá.)

49 Senhor, onde estão as tuas antigas benignidades que juraste a Davi pela tua verdade?

50 Lembra-te, Senhor, do opróbrio dos teus servos; como eu trago no meu peito o opróbrio de todos os povos poderosos,

51 Com o qual, SENHOR, os teus inimigos têm difamado, com o qual têm difamado as pisadas do teu ungido.

52 Bendito seja o SENHOR para sempre. Amém, e Amém.

 

 

LEIA OUTROS SALMOS

 

http://www.salmosdabiblia.com.br/

Seguidores