sábado, 10 de dezembro de 2011

EXU Gira Mundo


(Segal) - É chefe da linha negativa de Xangô, ou seja, ele é chefe de legião, sendo serventia de Xangô. Trabalha nas encruzilhadas e também nos cemitérios, pois seu nome é Gira Mundo, ele está em todos os lugares, cavernas e calungas, porque ele Gira o Mundo, assim como outro Exú de sua falange o Sr. Vira Mundo.
Exerce toda sorte de influência na atividade humana , principalmente sobre os espíritos desencarnados , que ainda não compreendem seu estado atual.Estes espíritos são enviados por exu Gira-Mundo para pertubar criaturas humanas, que os médicos da terra diagnósticam como obsidiadas.
Embora seja subordinado ao Guardião Calunga e pertença ao grupo de ALMAS, trabalha no corte de negativos e desmancho de trabalhos de baixa magia cortando correntes numa situação tormentosa, atrito e desordem astral percebendo-se males cardíacos. Atua também para desenrolar casos arrastados na justiça tendo trabalhos de magia interferindo no andamento. justiça de Xangô quem deve paga, quem merece recebe.
Caminhos
Caracteristicas
Bebida Marafo, Whisky
Fuma Charutos
Guia Vermelha e Preta
Lugar Encruzilhadas
Metal Estanho
Mineral Quartzo Verde Escuro
Planta Mangueira
Vela Preta, Vermelha e Preta
Pontos Cantados
Eu quero ver correr
Eu quero ver balancear
Chegou Seu Gira Mundo
Na Quimbanda vai girar



Ê girê, o girá,
Gira Mundo vai chegar.
Ê girê, o girá,
Para todo mal levar.
Ê girê, o girá,
Lá para o fundo do mar.
Ê girê, o girá.


Pontos Riscados
Ponto Riscado Guardião Gira Mundo
Escudo Fluídico
Ponto Fluídico Guardião Gira Mundo
Esta Entidade obedece à força desse triângulo fluídico riscado com pemba vermelha e com a ponta ou vértice que está dando cruzamento a 2 pontas ou saídas para o ponto cardeal SUL ou OESTE. O pano sobre o qual deve ser riscado é de cor verde-escura, cortado, em forma triangular. Leva velas ímpares nas pontas de saídas do triângulo, distribuídas de acordo e pares para pedidos de ordem material, dentro do triângulo riscado. Aceita álcool ou aguardente num copo de barro e charutos acesos com lumes para fora, dentro de um prato de barro. Aceita folhas e flores de trombeta, em redor de sua oferenda, que deve feita às quintas-feiras, entre nove horas e meia-noite, sempre numa encruzilhada de quatro saídas ou caminhos, nos campos, capoeiras, matas, e nunca nas de ruas.

Seguidores